Maison

Muxarabi: a origem do Cobogó?

Muxarabi: a origem do Cobogó?

Já falamos aqui no blog dos Cobogós, mas você sabia que os cobogós tiveram inspiração dos muxarabis? 

De origem árabe, os muxarabis são fechamentos trançados de madeira utilizados em fachadas e separações de cômodos. Tem seu destaque especialmente em lugares quentes, pois por ser um material vazado, permite que correntes de ar e raios solares passem pra criar uma estabilidade térmica pro ambiente.

Além disso, por se tratar de uma escolha que priorize o uso de iluminação natural do ambiente, em alguns casos até dispensando a instalação de luz artificial, é uma escolha incrível para projetos que procuram opções mais ecológicas. 

Mas qual a diferença entre um cobogó e um muxarabi?

Como dito anteriormente, o cobogó teve como inspiração os blocos vazados do muxarabi, mas adicionou alguns elementos únicos como: simetria e diversidade de materiais, podendo construir um cobogó a partir de cerâmica, vidro e concreto por exemplo. Já o muxarabi são estruturas mais leves por serem de madeira, e seus espaçamentos devem ser muito bem planejados e calculados para que regule a intensidade da entrada de luz e ventilação do local. 

Essa é a maior diferença entre ambos, pois as funções de instalação acabam sendo as mesmas, portanto é possível utilizar um ou outro da mesma forma, vai depender apenas da estética escolhida. 

Você sabia?

Na cultura árabe, os muxarabis são um reflexo da cultura da burca, mas nas construções. Isso se deve porque os traçados do muxarabi garantem uma certa privacidade, permitindo que quem esteja do lado de dentro veja tudo, mas quem esteja do lado de fora não.

Essa influência de construção chegou no Brasil logo no início da colonização pelos portugueses, e inclusive era utilizado com o mesmo propósito mesmo sendo culturas diferentes, mas ambas regidas pelo patriarcalismo rígido.

Cobogó é a união dos sobrenomes dos seus criadores: Amadeu Oliveira Coimba, Ernest August Boeckmann e Antônio de Góis, legal né?